sexta-feira, 26 de junho de 2009

Depois a gente vê como faz...

Recebi esse texto hoje por email.
Achei interessante e vou repartir nessa sexta-feira, com quem passa por aqui.
Texto de Leila Ferreira.

PRAZER PELA METADE
Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido. Uma só. Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação. O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano. A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons. Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de "fácil"). Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo. Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai. Tantos deveres, tanta preocupação em "acertar", tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação... Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão... Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'. Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos. Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções. Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: "Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora".... Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado. Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora. Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do "Law and Order", uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente. OK? Não necessariamente nessa ordem. Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago . . .
------------------
Fotografei essa lousa num restaurante, faz tempo, mas nunca soube que essa frase tinha saído da boca de Santo Agostinho!
Viver é uma constante surpesa!
Graças à Deus!
:)

13 comentários:

Sheila disse...

"Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora."

O texto é delicioso mas, quando leio a frase acima, fico pensando que a gente sempre acha que dará tempo de tudo, inclusive, se necessário, de se "endireitar", mas a morte vem, pega a gente despercebido.. e aí não fizemos o que deixamos pra fazer mais tarde. E isso vale também pras coisas boas que protelamos... e que não fazemos nunca.

Sei lá, tô meio fatalista hoje... desculpa :)

Beijocas e delicioso fds.

fátima disse...

ó, joguei no google e, pelo que vi, é da jornalista leila ferreira.

achei em alguns lugares como sendo da danuza também, e até de uma certa M.Emilia B.B.(??), mas acho que ganha a maioria, né?

de qquer forma, o texto é ótimo, e eu sou fiel seguidora!!

Ruby Fernandes disse...

hahahahah, adorei, adorei!!!
Era tudo que eu precisava hoje, pena que só li agora que acabei de chegar da academia...
Bjokas e ótimo fim de semana flor.

Quarto de Despejo disse...

Oi Fátima!
Obrigada! Já consertei os créditos. É realmente da Leila Ferreira.

Sheila,
É isso mesmo. Prá morrer basta tá vivo.Por isso é bom a gente prestar mais atenção no aqui e agora.

:)

Bjs

Ozenilda Amorim disse...

As boas tentações fazem bem ao coração, adoro tudo que dá conforto, de beijo a cafuné, de bolo a sorvete, de filme a soninho de pijamas e meia. Tudo vale a pena.
;)

Claudia disse...

Vc tá certíssima! Do seu pedido, eu só trocaria o sorvete de chocolate por pistsache e o Richard Gere pelo Johnny Depp.kkk

Beijos


Ah, tá rolando promoção no blog da Sutana, dá uma passadinha lá e se puder, vote em mim? Tem link no meu blog.

Mara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lourdes Sabioni disse...

Amiga, viver é mesmo uma grande surpresa...ainda bem que achei alguém viciada no House como eu...meus filhotes nunca mais vão falar que sou a única...KKKK

Atelie gaaya disse...

Engraçado tudo isso, muitas vezes dependendo de como você está internamente se sente assim mesmo!
Quando se sente segura do que quer não se importa muito com regras a serem seguidas e não se priva dos prazeres da vida. Se está feliz com você mesmo tudo deixa de ser um peso, a vida fica mais divertida e leve. O segredo está dentro de você!
Bjs!
Edilene

Sutana disse...

Não sei se quer mas vou te ensinar fazer arroz....kkk..todos adoram o meu, é soltinho.
A água vc coloca o dobro da quantidade de arroz, ex 1 xícara de arroz, 2 xícaras de água.... o resto vc deve sabe, frita os temperinhos, coloca arroz, refoga um pouco e coloca a água (se estiver com pressa coloque quente, já põe no fogo enquanto refoga o arroz, mas isso não faz diferença em mais ou menos solto) quando a água ferver e estiver bem diminuida, as bolhas quase entrando no arroz, vc abaixa o fogo, tampa e espera um pouco) espera secar bem e desliga, se servir depois de uns 10 minutos estará mais soltinho ainda....se fizer, me conta...bjusss

Nana disse...

Oi querida, adorei o texto e é bem por ai, a vida passa tão rápido que não conseguimos curtir mesmo na forma errada hehehe
Eu nasci torta e morro torta hehehe
Olha quando vier aqui, eu quero sim te encontrar, desculpa responder só agora pq o meu novo cargo roubou a minha alma.
Bjs

Blog - util.necessario - Ana disse...

Para completar você esqueceu que antes eramos comparadas a mulheres de revistas e agora e mulheres"photoshopadas".
Assim não dá né???
Costumo dizer que antes quando um presidente tomada posse nós mulheres olhavamos a roupa do primeira dama e o hoje a roupa o cabelo e o discurso do presidente.
Bjs, Ana
http://utilnecessario.blogspot.com/

Ví por aí... disse...

"Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar... as janelas olham.

Eita vida besta, meu Deus."
(Drummond)

Foi o que seu post me lembrou...
Eita vida besta, meu Deus!!!
rs...Bjkas da Jô